Apesar de ser um objeto muito comum, muitas pessoas não conhecem os diferentes tipos de lixeiras e suas utilizações. Para cada ambiente, existe um tipo de lixeira mais adequado.

Podem ser encontradas em muitos modelos, tamanhos, materiais e cores. E, normalmente, são usadas em locais como:

  • banheiros;
  • cozinhas;
  • escritórios;
  • parede;
  • calçadas;
  • entre outros.

Usos

No banheiro, por exemplo, as lixeiras são responsáveis por manter a higiene do espaço, neste caso, deve ser fabricada com materiais resistentes à umidade, como plástico, inox, metal e acrílico.

O banheiro é um ambiente suscetível a odores e umidade, então exige uma manutenção e limpeza constante, além de organização. Assim, os acessórios desse ambiente, inclusive a lixeira precisam ser adequados e refletirem as necessidades do ambiente.

Cozinha

As lixeiras de pias devem ser mais compactas, para não ocuparem muito espaço e atrapalhar a dinâmica do ambiente. Ao contrário das lixeiras de chão, por exemplo, que conseguem armazenar uma quantidade maior de resíduos.

No caso desse tipo de lixeira, assim como no banheiro, precisam ser resistentes à umidade, já que ficam próximas a pia e são, frequentemente, expostas à água.

O ideal é utilizar modelos com tampa, assim evita que o lixo de espalhe pelo ambiente e por se tratar de lixo orgânico, fica protegido de insetos.

Escritório

As lixeiras voltadas para escritório, geralmente, são menores, para evitar o acúmulo maior de lixo, e não possuem tampa, facilitando assim, o descarte de resíduos.

Esse tipo de lixeira geralmente é de metal, madeira ou plástico, pois não precisam ser tão resistentes, uma vez que dificilmente entrarão em contato com água e os resíduos depositados também serão em sua maioria, não orgânicos.

Parede

Outro tipo muito comum de lixeira, presente em locais residenciais e, até mesmo, em ambientes públicos são as lixeiras de parede.

Esse tipo, é indicado para o descarte de pequenos resíduos e, geralmente, são de plástico ou inox, e por serem suspensas precisam ser resistentes para suportar o preso.

Geralmente, acompanham um suporte, o que facilita sua instalação. O processo é bem simples e pode ser feito apenas com uma parafusadeira e furadeira.

Calçada ou áreas externas

Esse tipo de lixeira, normalmente, é maior que os demais, justamente para poderem acumular mais resíduos, as lixeiras para áreas externas devem ser resistentes contra as intempéries climáticas.

São feitas em plástico ou metal, na maior parte das vezes, podendo ser suspensas ou não. Para evitar que o lixo depositado fique espalhado na rua enquanto o sistema de coleta não passa, é necessário instalar a lixeira de calçada.

Outra opção é escolher os modelos colocados diretamente na parede ou no chão, pois ambas as versões devem ser feitas com materiais resistentes.

Podendo ser também dividas em lixeiras coletivas que facilitam a coleta dos resíduos, já que ficam em ambientes com grande quantidade de descarte.

Para a correta separação dos lixos, orgânico e recicláveis, é possível optar por lixeiras seletivas. Com capacidades que variam de 15 a 63 litros, esse tipo de lixeira possui acionamento manual, basculante, por click ou pedal.

Essas lixeiras possuem cores distintas, para o descarte dos diferentes tipos de lixos. Onde a verde é utilizada para objetos de vidro, a vermelha para plástico, azul para papel, amarela para metal e a cinza para lixo orgânico ou não reciclável.

Polimento

O Polimento é um processo realizado com o objetivo de gerar ou reativar o brilho de determinada superfície, geralmente, toda peça natural ou de manufatura, pode ser polida com o auxílio de uma peça de feltro.

Além das melhorias estéticas o polimento pode ser utilizado para auxiliar o ajuste de peças, eliminando rebarbas, ciscos e pequenas imperfeições, nos objetos, com uma lixadeira pneumática e é muito usado nas indústrias metalúrgica e mecânica.

O polimento envolve, de acordo com o tipo de material ou peça, alguns procedimentos necessários. As lixeiras fabricadas em metal, por exemplo, ao serem fabricadas, passam por esse processo.

De modo geral, alguns passos são muito importantes como o lixamento, que é feito com algum material abrasivo como lixadeira orbital, discos e afins, e serve para remover as imperfeições e resíduos do objeto.

O segundo passo é utilizar um agente polidor, conhecido popularmente como massa de polir. Pode ser aplicado com o uso de uma lixadeira pneumática orbital, por exemplo, e, até mesmo, de forma manual.

Já o terceiro e último passo necessário se refere à aplicação da cera, com o intuito de dar o brilho. Além de finalizar o serviço, proteger e melhorar a sensação ao toque, é composta por meio de de uma “espuma” feita de feltro de lã.