Logística de equipamentos e mercadorias

A logística é um setor que enfrenta muitas dificuldades no Brasil. Afinal de contas, como se não bastasse as dimensões continentais do território nacional, o principal modal de transporte são as rodovias – que, por sua vez, não costumam estar em bom estado.

Tudo isso faz com que a movimentação de equipamentos e mercadorias seja muito mais complexa do que em outros locais do mundo.

A boa notícia é que, apesar disso, há oportunidade para melhora: a adoção de algumas boas práticas no transporte de carga em todas as etapas do processo é de grande ajuda para evitar a perda de tempo e, assim, tornar a execução da tarefa muito mais eficiente.

Quer aprender mais a respeito disso? Então continue lendo e confira algumas dicas para que a logística de seus produtos seja muito mais eficiente:

Contrate profissionais qualificados

A logística exige profissionais eficientes. Isso, ao contrário do que muitas pessoas pensam, não vale apenas para o planejamento: Quem se ocupa das tarefas operacionais também deve ter recebido formação nesse sentido.

Um ótimo exemplo disso são procedimentos mais delicados, como o içamento de máquinas ou cargas pessoas: qualquer erro pode ser, literalmente, fatal.

Por conta disso, é fundamental que o indivíduo que se ocupar de tal tarefa seja devidamente qualificado para tal, dominando não apenas os controles do equipamento em questão, como, também, todos os procedimentos de segurança relativos à sua operação.

Use equipamentos adequados

Por mais que mercadorias menores possam ser colocadas e retiradas de veículos apenas com a força humana, esse não é o caso quando se trata daquelas que são mais volumosas e/ou pesadas.

No caso do transporte de equipamentos pesados, por exemplo, é preciso contar com máquinas ainda maiores do que o item a ser transportado, de modo a fazer com que a sua mobilidade fique mais fácil.

A boa notícia é que os profissionais da área da logística dispõem de diversas ferramentas para facilitar a movimentação de suas cargas. Entre elas, estão:

  • Veículos, como caminhões;

  • Empilhadeiras;

  • Carrinhos de carga;

  • Guindaste.

Deste modo, recomenda-se analisar o funcionamento de cada um deles com calma, de modo a definir qual é a máquina que melhor atende às necessidades de cada etapa do projeto.

No caso da gestão de cargas nos armazéns, por exemplo, costuma-se usar as empilhadeiras e os carrinhos de carga, enquanto que os guindastes entram em ação no transporte de mercadorias grandes e volumosas, que não poderiam ser movidas apenas com a força humana.

Invista em pallets

Além de máquinas, há outros itens mais simples que são de grande ajuda para facilitar a movimentação de mercadorias no processo logístico: os pallets.

Eles funcionam como se fosse uma espécie de bandeja que apoia as cargas e facilitam o seu transporte por equipamentos como empilhadeiras, já que os seus garfos se encaixam perfeitamente nos vãos.

A boa notícia é que a adoção dessa solução não custa uma fortuna.

Na verdade, é justamente o contrário: uma fabrica de paletes costuma trabalhar com matérias-primas de baixo custo, como os compensados de madeira e os plásticos.

Além disso, esses objetos podem ser reutilizados várias vezes, o que, por sua vez, significa que a sua vida útil é longa.

Vale ressaltar que, no caso de algumas mercadorias, pode ser preciso recorrer a modelos específicos, que garantam a eficiência e a segurança do processo.

É o que acontece, por exemplo, com químicos corrosivos: se eles vazarem, as chances de que o profissional encarregado de seu transporte fique ferido são grandes.

Para evitar que isso aconteça, é preciso usar o pallet de contenção. Trata-se de um pallet de plástico que tem uma espécie de reservatório em sua porção inferior, que, por sua vez, evita os vazamentos.

Observe todas as normas regulamentadoras

Para preservar a integridade e a segurança de todos os envolvidos, órgãos como a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) editam documentos chamados normas regulamentadoras.

Seu papel é criar alguns padrões básicos para a execução de diversas tarefas nos mais distintos setores econômicos.

O transporte de cargas não é diferente: é fundamental que todos os profissionais verifiquem quais são as normas pertinentes ao setor.

Vale ressaltar que, caso elas não sejam seguidas, o estabelecimento pode sofrer sanções do poder público. Logo, isso merece receber atenção especial.