Instalações elétricas que você ainda não conhecia

A evolução do uso da energia elétrica é claramente muito alta, trazendo a cada dia alguma inovação em vários setores e com isso contribuindo tanto para o conforto como para a segurança das pessoas.

Mas, com isso, vem também o desconhecimento de várias instalações novas e que podem ser úteis em certos momentos. Iremos abordar durante este artigo as principais instalações elétricas que você provavelmente não conhecia e como elas podem auxiliá-lo na otimização do seu ambiente.

Ar condicionado

Esse é um equipamento muito usual tanto em instalações elétricas residenciais como aquelas com foco em comércios.

O ar condicionado é um sistema climatizador que tem como função a captação do ar externo que passa por um motor de tratamento e, por fim, resfria o ar interno por meio de uma evaporadora.

Nesse processo, o ar é transferido para a parte interna do ambiente, fazendo o ar ficar mais úmido e controlando a temperatura. Porém, mesmo esse equipamento sendo muito conhecido, ele possui variações para certos tipos de uso, como vamos abordar agora.

1. Ar condicionado VRF

O ar condicionado VRF é uma variação desse produto para uso em prédios comerciais de grande e médio porte.

O sistema VRF (Variable Refrigerant Flow – Fluxo de Refrigeração Variável) tem o objetivo de ser um sistema único para atender várias necessidades.

Para se ter uma ideia, normalmente se opta por possuir um ar condicionado split em cada sala do prédio para controlar o clima de acordo com a necessidade de cada ambiente.

Já o sistema VRF surgiu para cumprir essa função sem haver a necessidade de instalar diversos equipamentos. Assim, ele é um único sistema que entrega para cada sala o mesmo dispositivo motor de distribuição e refrigeração.

Cabe destacar que cada evaporador tem sua própria regulação de temperatura e modo para operar, conciliando o conforto térmico com um sistema de fácil manutenção.

Esse parece um sistema altamente complexo, porém ele é programado para ser de fácil manutenção, tendo um sistema inteligente de detecção de falhas. Por este motivo o técnico responsável realiza uma vistoria remota no equipamento antes de trabalhar na parte física para uma manutenção muito mais efetiva.

2. Ar condicionado split

Uma outra alternativa é o ar condicionado split, que pode ser implementado em cada sala que necessite de controle térmico. Ele trabalha com duas peças, sendo uma externa (motor) e uma interna (evaporador).

Diferentemente do item abordado no tópico anterior, esse ar condicionado é feito para operar como único, recomendado para locais em que a necessidade de controle térmico seja baixa e para locais pequenos.

Proteções na rede elétrica

Para uma instalação elétrica funcional, completa e segura é preciso que o responsável pelo local prepare o ambiente com equipamentos e suportes de corrente elétrica proporcionando a segurança esperada além do pleno funcionamento dos itens que compõem a residência e/ou negócio.

Existem diversos itens que podem ser usados nesse sentido. No entanto, há dois dispositivos que se destacam no mercado pela simplicidade de seu funcionamento aliado com a fácil manutenção e instalação. Isso sem que implique na segurança oferecida.

1. DPS

O uso de DPS, Dispositivo de Proteção contra Surtos, tem se tornado cada vez mais comum, isso porque as sobretensões (também conhecidas como “surtos”, que deriva o nome do equipamento) são igualmente comuns, atingindo diariamente residências e comércios.

O surto é basicamente uma tensão maior do que a programada para passar pela corrente elétrica, fazendo com que equipamento eletrônicos reajam negativamente a ela, e os resultados disso podem ser desde o desligamento do aparelho até a queima da parte elétrica, que é um prejuízo extremamente alto.

Isso faz com que a necessidade do dispositivo seja muito presente no mercado, principalmente no ambiente industrial em que os maquinários são caros e delicados.

Em caso de interesse saiba que o dps preço é acessível e se trata de um equipamento de segurança extremamente eficaz.

O DPS atua com surtos de todos os tipos, desde falhas elétricas derivadas de algum componente mal encaixado, ou retirado do sistema, até descargas de energia alta como raios.

No entanto, para o caso de raios, é preciso cuidado redobrado. Nesse caso, além do uso do DPS é recomendado a instalação de para raios que tem a função de levar a descarga elétrica da ponta mais alta da edificação até para debaixo da terra, pelo sistema de aterramento.

Com o uso de ambos os equipamentos é garantindo que qualquer aparelho não sofra alterações.

Disjuntores

O disjuntor é outro equipamento de segurança. Com funcionamento um pouco diferente do DPS, o disjuntor tem o intuito de desarmar sob alterações de tensão fazendo o desligamento de todo o sistema para que equipamentos não sejam afetados.

É possível encontrar vários modelos deste equipamento no mercado, como:

  • Disjuntor unipolar;

  • Disjuntor bipolar;

  • Disjuntor tripolar;

  • Disjuntor de curva B;

  • Disjuntor de curva C;

  • Disjuntor de curva D;

Vale frisar que cada modelo é destinado para uma necessidade e ambiente tendo, assim, uma aplicação específica.

No entanto, o modelo mais usual é o disjuntor bifasico, pois entrega ótima estabilidade tanto na rede 110V quanto 220V, se adaptando a corrente do local.