Construção civil: as recentes mudanças no setor

Em qualquer país, seja ele de primeiro mundo ou emergente, o ramo da construção e da engenharia civil sempre está entre os que mais crescem.

Tanto é assim que a própria faculdade de engenharia civil está entre as mais escolhidas pelos alunos, ao passo que de todas as de engenharias (mecânica, ambiental ou industrial.) a civil é a mais escolhida.

Mas também é um setor caro, cuja formação de profissionais não é das mais simples, e cujo investimento da parte de construtoras e de grandes empreiteiras costuma ser exorbitante.

Devido a tais fatores, o cenário de aquecimento tanto para profissionais quanto para grandes empreendimentos se verifica, especialmente, nas grandes capitais do país, quais sejam as principais:

  • São Paulo (São Paulo);
  • Porto Alegre (Rio Grande do Sul);
  • Belo Horizonte (Minas Gerais);
  • Rio de Janeiro (Rio de Janeiro);
  • Curitiba (Paraná).

Esses dados são especialmente importantes para aquele que está ingressando na área, e que busca uma construtora e uma boa oportunidade de iniciar sua relação empregador-empregado, ou que busca oportunidades como consultor/freelancer.

Bem como é importante para empreiteiras, uma vez que a demanda por esse tipo de profissional, às vezes, supera a quantidade de profissionais disponíveis em uma mesma região.

Inclusive, não é raro ouvir falar em empresas que arcam com os gastos de um determinado funcionário para que ele se mude de cidade ou de estado a fim de atender e participar de um grande projeto.

Adiante ficará mais claro como esse segmento fantástico costuma funcionar e qual sua importância para todos nós.

Qual o papel dos projetistas?

Conforme sobredito, a construção civil tem uma importância fundamental no crescimento de qualquer país, seja ele já desenvolvido ou em estágio de desenvolvimento, pois sempre haverá novos empreendimentos e reparos ou expansões a fazer nos empreendimentos já finalizados.

Uma das frentes mais importantes desse setor é a da empresa de projetos de engenharia civil. Cabe a esse tipo de empresa amarrar uma série de pontas, as quais vão desde os prestadores de mão de obra, até as licenças governamentais e detalhes jurídicos e de fiscalização de um empreendimento.

As áreas típicas dessa visão mais abrangente do setor abarcam as seguintes frentes de trabalho:

  • Os escritórios e gabinetes das construtoras;
  • A relação com os investidores públicos ou privados;
  • A relação com as indústrias de matérias-primas;
  • A relação com os engenheiros e projetistas;
  • A relação com os obreiros, pedreiros e afins;
  • A relação com os fiscais de obras, e daí por diante.

Além de todos esses casos, o profissional da área também pode inserir-se no mercado através de outra modalidade de trabalho que tem crescido bastante nos últimos anos, qual seja: a de freelancer ou consultor.

A liberdade que esse tipo de serviço permite a ambas as partes é um dos fatores que mais a torna atraente, especialmente quando se fala em um setor conhecido por sua complexidade técnica e jurídica, como este.

Assim, o profissional que presta consultoria pode atender mais de um projeto ao mesmo tempo, e decidir a qual deles dedicará mais o seu esforço, conforme o desenrolar da construção, a qual depende não apenas de outros profissionais da construtora, como também de partes do governo local e federal.

Já a construtora, por seu turno, pode contratar consultores conforme o andamento do projeto, e em caso de demora na construção ou retardamento ocasionado por fatores legais ou de qualquer tipo que seja alheio à estratégia, ela não terá de arcar com gastos fixos de um funcionário que pode estar impedido de trabalhar, embora continuasse a gerar custos.

A crescente terceirização de serviços

Há uma infinidade de serviços que as empresas de engenharia civil prestam. Quando se fala nesse setor, imagina-se logo que o papel de uma empresa seja contratar o engenheiro, desenhar um projeto, trazer os pedreiros e começar logo as obras. Mas não é bem assim.

Atualmente, uma das frentes que mais crescem no setor de construção, além do supracitado papel dos consultores, é o das empresas que terceirizam mão de obra (aliás, duas modalidades que se inter-relacionam).

As vantagens da terceirização são muitas, e vão desde aumento na capacidade produtiva até otimização do tempo e dos gastos gerais.

Então, é muito comum a empreiteira iniciar as obras contratando terceirizadas para fazer a parte de terraplanagem, que é o esforço inicial de uma construção. Na sequência, existem outras equipes que prestam o serviço de edificação.

Em termos de acabamentos, existe, por exemplo, o famoso papel da empresa de impermeabilização de lajes, que também presta serviços na parte de pintura e higienização. E daí por diante.